Av Vereador Raymundo Hargreaves, N 98, Fontesville, Juiz de Fora – MG Tel: (32) 2101-1556

Muitos dos medicamentos utilizados atualmente foram descobertos através da realização de experiências em animais e humanos. Entretanto, muitos medicamentos já estão sendo projetados com o objetivo de tratar distúrbios específicos. Alterações bioquímicas e celulares anormais causadas pela doença são identificadas e, então, podem ser desenvolvidos compostos que podem prevenir ou corrigir essas anomalias especificamente (através da interação com regiões específicas do corpo). Quando um novo composto se mostra promissor, sua estrutura é modificada várias vezes para:

  • Otimizar sua capacidade de atingir o alvo desejado (seletividade)
  • Permanecer fixado ao alvo (afinidade)
  • Otimizar sua força (potência, eficiência, eficácia)
  • Otimizar a segurança (minimizar os efeitos colaterais)

O mercado de medicamentos especiais está sempre em pesquisa e expansão, já que não só os remédios já existentes precisam de novas tecnologias, mas também as doenças que ainda não possuem tratamento precisam de um.

Dentro da área de farmácia, existem vários tipos de fármacos para várias situações e casos diferentes e, assim, é possível dividir não só pela sua finalidade ou suas substâncias, mas também por serem medicamentos especiais ou medicamentos comuns.

 

Mas afinal , o que são medicamentos especiais?

Um medicamento é definido como qualquer substância (que não um alimento ou dispositivo) para uso no diagnóstico, cura, alívio, tratamento ou prevenção de doenças ou destinada a afetar a estrutura ou função do corpo (os contraceptivos orais são um exemplo de medicamentos que exercem influência sobre o funcionamento do corpo e não sobre uma doença). Esta definição abrangente de um medicamento, embora seja im­portante do ponto de vista legal, é bem mais complexa no uso cotidiano. Uma definição mais simplificada, porém prática, seria descrever medicamento como qualquer produto químico ou biológico que afeta o corpo e seus processos.

Algumas pessoas usam incorretamente a palavra droga apenas com o significado de substância que produz uma sensação prazerosa.

Os medicamentos especiais são aqueles remédios produzidos com alta tecnologia que, normalmente, requerem cuidados especiais, como armazenagem e transporte diferenciados e que não são estão nos programas de saúde do Ministério da Saúde brasileiro – a aquisição desse tipo de medicamento é de responsabilidade da Secretaria Estadual de Saúde.

Normalmente, este tipo de remédio não é encontrado em drogarias comuns por serem de alta complexidade e por requererem cuidados diferenciados de armazenamento, e é por isso que esse medicamentos se diferem dos remédios convencionais encontrados facilmente nas farmácias.

Segundo o portal Preço Medicamentos, os Medicamentos especiais possuem um custo muito elevado, tanto para os próprios pacientes quanto para hospitais, clínicas e outras instituições da área da saúde. Podem custar de R$800,00 até R$1,4 milhão e são utilizados em tratamentos complexos, como na cura de algum tipo de tumor ou nódulo, na área de reprodução humana, entre outros tratamentos para doenças raras, que atingem hoje 13 milhões de brasileiros.

 

Qual a aplicação do medicamento especial?

São muitas as aplicabilidades dos fármacos voltados a casos especiais. Esse remédios são utilizados tanto na área de saúde mental quanto em áreas específicas, como:

  • Cardiologia
  • Dermatologia
  • Endocrinologia
  • Gastroenterologia
  • Ginecologia
  • Hematologia
  • Infertilidade
  • Metabologia
  • Nefrologia
  • Neurologia
  • Oftalmologia
  • Oncologia
  • Pediatria
  • Pneumologia
  • Reprodução Humana
  • Reumatologia
  • Urologia

Todos esses medicamentos são voltados para casos específicos de cada doença e requer muito cuidado, tanto em relação a manutenção do remédio quanto à saúde do paciente.

 

Quanto o manuseio do medicamento especial?

Os medicamentos especiais não são guardados e transportados como os fármacos comuns, esses medicamentos requerem armazenagem e transporte diferenciados e, por esse motivo, não são facilmente encontrados em qualquer lugar. As empresas que comercializam este tipo de medicamento devem ter uma estrutura que favoreça a manutenção do produto, além de um serviço de transporte equipado para que ele possa ser levado para outros lugares sem problema algum.

No caso do uso dos medicamentos, é importante que sejam utilizados dentro do horário estabelecido pelo médico, já que muitos desses remédios possuem um prazo de validade curto – fora do prazo, que pode perder a eficácia e o paciente pode perder seu dinheiro.

Além disso, na hora da compra, é indicado pesquisar todos os cuidados que se deve ter com o medicamento, como a sua temperatura de armazenamento – é importante colocá-lo na geladeira e transportá-lo na temperatura adequada.

Percebe-se que, muito mais do que a compra ou a solicitação do medicamento pelo SUS, é essencial que o paciente ou o responsável por ele saiba mantê-lo em condição favorável com muita cautela.

Por fim, é importante salientar que não se deve usar medicamentos sem nenhuma prescrição médica. Sempre que precisar, vá ao médico e deixe-o dizer qual a receita específica para o caso – somente ele pode dizer a patologia e qual medicamento deve ser usado como cura.

 

 

Fonte: https://www.terra.com.br

© 2020 Ativa Hospitalar. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por CriaTec